Documentário “Insegurança à mesa” retrata diferentes contextos do Brasil, que voltou ao mapa da fome

Produzida pela ONG Visão Mundial, com apoio do movimento União BR, série é dividida em sete episódios e mostra a vida de famílias que sofrem com a insegurança alimentar, agravada durante a pandemia

O Brasil voltou para o Mapa da Fome em 2020. Embora saúde e nutrição sejam direitos garantidos a todas as pessoas, a situação atual está longe disso e a pandemia de COVID-19 agravou ainda mais esse cenário. O último relatório da ONG World Vision, conhecida no Brasil como Visão Mundial, aponta que 283 mil crianças com menos de 5 anos podem morrer até 2022 em decorrência da fome causada pela pandemia. A preocupação com a segurança alimentar no Brasil levou a ONG a chamar a atenção para um tema tão sensível com o lançamento no Brasil do documentário Insegurança à mesa. A série, apoiada pelo movimento União BR, é dividida em sete episódios gravados em diferentes regiões do Brasil durante o mês de julho. A estreia acontece no dia 19 de outubro, em evento online no canal da Visão Mundial no Youtube, a partir das 19h. O lançamento também contará com a presença e o apoio da pediatra Ana Escobar.

Com o documentário, Visão Mundial e União BR querem chamar a atenção para a urgência do tema da fome e da insegurança alimentar. O propósito da série é mostrar que a fome está cada vez mais presente no dia a dia da população, em diferentes contextos. De grandes centros financeiros a comunidades de difícil acesso, a fome voltou a colocar em risco a vida de milhões de brasileiros. E, mesmo quando a fome não é evidente, a crise financeira causada pela pandemia tem colocado a qualidade da alimentação à prova. As consequências são famílias com acesso a alimentos de baixo valor nutritivo, crianças desnutridas e o futuro de uma geração inteira comprometido.

Além de mostrar essa triste realidade, a parceria busca levar algum alento às famílias dos sete municípios onde a série foi gravada. Já no lançamento, o documentário apresenta o desafio de arrecadar 1 mil cestas básicas em cada um dos sete municípios da série: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, João Pessoa, Baía da Traição, Manaus e Boa Vista. Dessa meta total de 7 mill cestas básicas, 1 mil já foram garantidas pelo Movimento União BR.

“O União BR se engaja e participa de centenas de movimentos visando o combate à fome, e achamos fundamental o estímulo que o documentário da Visão Mundial traz. É preciso conectar as diferentes realidades do nosso país, e a mobilização também vem do exemplo, por isso já conseguimos arrecadar as 1.000 cestas iniciais, e incentivamos as pessoas, empresas e marcas a fazerem o mesmo. A união de esforços nesse combate precisa ser de todos”, destaca Gabriella Marques, responsável por Operações do União BR.

Faces da fome

O episódio de estreia conta a história da paraibana Maria da Guia. Até março de 2020, ela mantinha a casa onde vive com outras 10 pessoas com o dinheiro de faxina. Poucas semanas depois da declaração de pandemia de Covid-19, ela se viu desempregada e sem nenhum recurso para levar alimento à família. Aos 55 anos, começou a catar recicláveis pelas ruas de João Pessoa. Ela conta que chegou a comer alimentos que encontrou no lixo, em um dilema entre se alimentar ou desfalecer sozinha no asfalto. Mesmo na dificuldade, Maria da Guia não nega ajuda a quem lhe pede e, assim, consegue seguir em meio à pobreza e sob o risco diário da fome.

O documentário também trará, ao longo das semanas seguintes, histórias em diferentes contextos – comunidades ribeirinhas, indígenas, favelas em grandes centros urbanos, comunidades de famílias refugiadas e migrantes, periferias onde a fome tem endereço e cor de pele. São histórias que mostram a importância da solidariedade em tempos onde a desigualdade ameaça de fome quem mal acabou de nascer.

“Falar sobre fome no Brasil atual é um tema necessário e urgente, por isso o lançamento deste documentário. Temos famílias inteiras que perderam totalmente a fonte de renda com o início da pandemia e que hoje, um ano e meio depois, passam por ainda mais dificuldade para conseguirem o mínimo, como o alimento no prato. A fome compromete o desenvolvimento e o futuro de milhões de crianças no Brasil. Não podemos fechar os olhos para essa realidade”, ressalta o gerente de Mobilização da Visão Mundial, Kess Jones.

Preocupação global

De acordo com a primeira pesquisa global neste tema no contexto de pandemia, houve um agravamento da fome mundial. O relatório O Estado da Insegurança Alimentar e Nutrição no Mundo (SOFI) 2021, elaborado por várias agências da ONU, estima que até 811 milhões de pessoas estavam desnutridas no ano passado, o que representa um aumento de mais de 160 milhões de pessoas em comparação com 2019. O relatório também aponta que, de forma geral, 30% da população global, o que resulta em mais de 2,3 bilhões de pessoas, não tiveram acesso a uma alimentação adequada durante todo o ano de 2020. Erradicar a fome até 2030 será uma meta difícil de cumprir.

O relatório Price Shocks (Choques de preço, em tradução livre), da World Vision, lançado em setembro de 2021, identificou que, desde que a pandemia foi declarada, o aumento dos preços dos alimentos associado às demissões ocasionadas pelo lockdown e a interrupção de serviços de alimentação e nutrição fomentaram uma crise de fome global, agora com mais pessoas morrendo por dia de fome do que pela COVID-19. É estimado que a fome aguda mata 11 pessoas a cada minuto em comparação com 7 mortes por minuto pelo coronavírus.

Um outro estudo da ONG, lançado em 2020, já tinha advertido para as projeções globais de aumento da fome, violência e pobreza entre crianças como resultado da crise desencadeada pela pandemia. Na América Latina, 84% das crianças migrantes da Venezuela e espalhadas em seis países da América do Sul relatam uma grave deterioração na economia familiar. Uma em cada três dessas crianças vai dormir sem comer, de acordo com outro relatório recente da Visão Mundial sobre o tema.

Alimentação de qualidade, saúde e bem-estar são algumas das vertentes que a organização defende. Apenas em 2020, a resposta da Visão Mundial à crise da fome já atingiu, em todo o mundo, 12 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade em 29 países, dando suporte com comida e nutrição. A ONG se alia a diferentes organizações e iniciativas que possam garantir segurança alimentar às famílias mais necessitadas, e está comprometida com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU que prevê a erradicação da fome e da pobreza até 2030.

Serviço

Lançamento da série documental Insegurança à Mesa, seguida de debate sobre segurança alimentar e desenvolvimento infantil

Data: 19 de outubro (terça-feira)

Horário: 19h

Local: Youtube da Visão Mundial

Debate com participação de:

Categorias: Destaque

Comentários estão fechados